quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O VALOR DO "ORAI E VIGIAI"

A exortação de Jesus - “orai e vigiai” - aparece várias vezes nos Evangelhos: além da parábola do Servo Vigilante (Mt 24:45-51 e Lc 12:35-48), é reiterada também na parábola das Dez Virgens (Mt 25:1-13) e em várias outras passagens dos Evangelhos, como, p. ex., em Mt 24:29-44 (também em Mc 13:24-37 e Lc 21:25-36), na parábola do Rico Insensato (Lc 12:13-21) e na conhecida e dramática cena no Monte das Oliveiras (Mt 26:36-44, Mc 14:32-42 e Lc 22: 39-46).

No mundo físico, vivemos num “mar” de ondas eletromagnéticas artificiais de vários níveis de freqüência e intensidade - de rádio, tv, celulares, radares, campos magnéticos gerados pela rede elétrica, motores e equipamentos elétricos - e naturais, provenientes da própria Terra, do Sol, das estrelas e galáxias. Estas ondas não apenas nos rodeiam, mas também nos atravessam.

Da mesma forma, vivemos num “mar” similar de ondas de pensamentos de encarnados e desencarnados de variadas freqüências e intensidades (vide, p. ex., “Nos Domínios da Mediunidade”, na introdução “Raios, Ondas, Médiuns, Mentes...”, escrito pelo espírito André Luiz, pela psicografia de Chico Xavier). Conectamo-nos com as faixas de frequência e intensidade em que vibramos. Se vibramos em faixas mais elevadas, correspondentes a pensamentos virtuosos de amor, fé, coragem, esperança, paz, alegria, serenidade, sintonizamo-nos com pensamentos de encarnados e desencarnados de teor semelhante. E vice-versa: pensamentos pessimistas, amargurados, de vingança, viciosos, levam-nos à sintonia com encarnados e desencarnados que estão nesta faixa vibratória.

Essas sintonias vibratórias atuam como um processo de retorno (“feedback”) positivo*, ou seja, fortalecem os pensamentos dos envolvidos: se virtuosos, estes feedbacks tendem a levar a um círculo virtuoso, fortalecendo a boa vibração, nos elevando. Se viciosos, facilitam um círculo vicioso que nos puxa cada vez mais para baixo.

Neste contexto, a exortação “orai e vigiai” de Jesus nos adverte para estarmos atentos ao teor de nossos pensamentos, às baixas sintonias vibratórias nas quais podemos cair, inadvertidamente em algumas vezes, nem tanto em outras. Ao estarmos atentos, vigilantes, diminuímos a possibilidade de baixarmos a guarda vibratória. Por outro lado, a oração tanto nos protege, fortalecendo nossa vigilância, como nos ajuda a sairmos de faixas vibratórias inferiores.

À medida que fortalecermos o “orai e vigiai”, mais e mais ficaremos bem e, igualmente importante, seremos também presenças positivas para os nossos próximos, parte da solução e não do problema.
____________________________________



* O termo “retorno positivo” aqui tem sentido técnico, não denotando valor moral, mas sim as conseqüências das "saídas" de um processo (p. ex., o processo pode ser nós mesmos contando uma piada) que retornam do ambiente (no ex., nossos amigos ouvintes são o ambiente e suas reações à piada o retorno) e realimentam o próprio processo, aumentando suas saídas (as gargalhadas dos ouvintes que nos levam a contar mais piadas).

Nenhum comentário:

Postar um comentário